Timber by EMSIEN-3 LTD


COMUNIDADE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA
Endereço: Av. Otávio Braga de Mesquita, 871 – Vila Fátima
Missas Dominicais: às 7h30, às 11h e às 19h00
Missas da Semana: Sexta às 7h30 – Quarta às 19h30

COMUNIDADE SÃO FRANCISCO
Endereço: Rua Síria, 384 – Jardim São Francisco
Missas: Sábado às 19h00 e 4ª terça-feira às 19h30

COMUNIDADE SÃO LUCAS
Endereço: Rua Ana Coelho da Silveira, 226 - Jardim Ipanema
Missa Dominical: às 9h15, exceto aos 4º domingos às 17h30
Missas da Semana: 2ª terça-feira às 19h30

COMUNIDADE SÃO PAULO APÓSTOLO
Endereço: Rua Fonte Boa, 173 – Vila Barros
Missa Dominical: às 9h15
Missas da Semana: 2° quinta-feira do mês nos setores da comunidade


O ECC foi idealizado pelo Padre Alfonso Pastore em abril de 1970 para ser desenvolvido em três etapas distintas, indispensáveis, inter-relacionadas entre si, cada uma com características e finalidades próprias. Uma etapa prepara a outra e deve ser observada a partir de um crescimento de seus integrantes e de sua comunidade.

 

 

A 1ª etapa é o momento evangelizador e missionário, é o despertar, é o chamamento. Esta etapa visa principalmente: despertar os casais para que vivam seu casamento de uma maneira cristã, a partir dos valores humanos e cristãos do casamento, das graças do Sacramento do Matrimônio e da espiritualidade conjugal, familiar e apostólica; inspirar um maior relacionamento entre os cônjuges e demais membros da família; levar os casais da nossa paróquia a atuar em seus diversos setores, abrindo-lhes possibilidades de doação e, por meio do Pós- Encontro, dar-lhes motivação para se engajarem; criar a convivência fraternal nas paróquias como grande apelo, a grande missão do ECC.

 

A Espiritualidade é a tônica do ECC e se fundamenta em cinco pontos básicos: a Doação, a Pobreza, a Simplicidade, a Alegria e a Oração. Juntam-se a estes valores a Fraternidade, a Gratuidade e a Missionaridade.

 

Este ano, o 6º ECC da Paróquia Nossa Senhora de Fátima realizar-se-á nos dias 31 de Agosto e 1º e 2 de Setembro, e todos os casais que ainda não vivenciaram este momento único sintam-se convidados a estar conosco para encontrarmos Jesus Cristo concretamente.

 

Inscrições – Procure por um representante do ECC em nossas missas ou ligue para o casal fichas Odair e Carmelita através do número 96723-3066.

 

Estamos ansiosos esperando por vocês! Venham fazer parte dessa família!

 

“Queridas famílias, como bem sabeis, a verdadeira alegria que se experimenta na família não é algo superficial, não vem das coisas, das circunstâncias favoráveis e na base deste sentimento de alegria profunda está a presença de Deus”! (Papa Francisco)

Eduardo – Pascom

A missão da Pastoral Familiar é a defesa e promoção da pessoa em todas as etapas e circunstâncias da vida e a defesa dos valores cristãos para o matrimônio e os relacionamentos pessoais e familiares.

 

 

Entre os dias 12 e 18 de agosto de 2018 será celebrada em todo o Brasil a Semana Nacional da Família, evento promovido pela Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF) e Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família, da CNBB, que tem como tema “O Evangelho da Família, alegria para o mundo”, mesmo tema do IX Encontro Mundial das Famílias com o Papa Francisco, que acontece em Dublim, Irlanda, em agosto. Portanto, devemos nos preparar para viver intensamente a alegria que os eventos proporcionarão.

 

Segundo Pe. Jorge Filho, Assessor Nacional da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB, cada cristão batizado precisa esforçar-se para ser no mundo um evangelizador e transmissor das mensagens contidas no evangelho. ” Motivados pelo tema do IX Encontro Mundial das Famílias, queremos, juntos com o Papa, nos empenhar para anunciarmos o Evangelho da Família que deve ser a alegria para o mundo”.

 

Evento realizado anualmente e que já faz parte do calendário de milhares de paróquias do país, a Semana Nacional da Família foi realizada pela primeira vez como resposta ao desejo de se fazer algo em defesa, promoção e valorização da família. Para isso, foi escolhida a semana seguinte ao dia dos pais, no mês de agosto, com a proposta da Pastoral Familiar de articular-se com todas as demais pastorais da Igreja no sentido de evangelizar as famílias.

 

No mês de agosto a Pastoral Familiar da Paróquia Nossa de Fátima organiza a semana da família, que este ano será baseado no livro “Hora da Família, O Evangelho da Família, alegria para o mundo.

 

A Paróquia N. S. de Fátima juntamente com a Pastoral Familiar, convida a todos para Festa das Famílias, que acontecerá no dia 25 de agosto das 13 ás 18h, no estacionamento da paróquia. A festa contará com uma equipe de animação altamente brincalhona e preparada para te fazer sorrir, e com uma equipe de cozinha que colocará a mão na massa para preparar lanchinhos e bebidas para todos. Para que a festa fique ainda mais divertida, vá com a sua fantasia.

Pastoral Familiar

 

No último dia 09 de abril, a presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) emitiu Nota Oficial “Pela vida, contra o aborto”. Os bispos reafirmam posição firme e clara da Igreja “em defesa da integralidade, inviolabilidade e dignidade da vida humana, desde a sua concepção até a morte natural” e, desse modo lembra condenam “todas e quaisquer iniciativas que pretendam legalizar o aborto no Brasil”.

 

cnbb-nota

 

“O direito à vida permanece, na sua totalidade, para o idoso fragilizado, para o doente em fase terminal, para a pessoa com deficiência, para a criança que acaba de nascer e também para aquela que ainda não nasceu”, sublinham os bispos.

 

Os bispos ainda lembram que “o respeito à vida e à dignidade das mulheres deve ser promovido, para superar a violência e a discriminação por elas sofridas. A Igreja quer acolher com misericórdia e prestar assistência pastoral às mulheres que sofreram a triste experiência do aborto”.  E afirmam: “A sociedade é devedora da mulher, particularmente quando ela exerce a maternidade”.

 

Atitudes antidemocráticas

 

Na Nota, os bispos afirmam: “Neste tempo de grave crise política e econômica, a CNBB tem se empenhado na defesa dos mais vulneráveis da sociedade, particularmente dos empobrecidos. A vida do nascituro está entre as mais indefesas e necessitadas de proteção. Com o mesmo ímpeto e compromisso ético-cristão, repudiamos atitudes antidemocráticas que, atropelando o Congresso Nacional, exigem do Supremo Tribunal Federal-STF uma função que não lhe cabe, que é legislar”.

 

A CNBB pede: “O Projeto de Lei 478/2007 – “Estatuto do Nascituro”, em tramitação no Congresso Nacional, que garante o direito à vida desde a concepção, deve ser urgentemente apreciado, aprovado e aplicado”. E conclama: as “comunidades a unirem-se em oração e a se mobilizarem, promovendo atividades pelo respeito da dignidade integral da vida humana”.

 

Leia a Nota na íntegra:

 

CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL

Presidência

NOTA DA CNBB

PELA VIDA, CONTRA O ABORTO

“Não matarás, mediante o aborto, o fruto do seu seio”

(Didaquê, século I)

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, através da sua Presidência, reitera sua posição em defesa da integralidade, inviolabilidade e dignidade da vida humana, desde a sua concepção até a morte natural . Condena, assim, todas e quaisquer iniciativas que pretendam legalizar o aborto no Brasil.

O direito à vida é incondicional. Deve ser respeitado e defendido, em qualquer etapa ou condição em que se encontre a pessoa humana. O direito à vida permanece, na sua totalidade, para o idoso fragilizado, para o doente em fase terminal, para a pessoa com deficiência, para a criança que acaba de nascer e também para aquela que ainda não nasceu. Na realidade, desde quando o óvulo é fecundado, encontra-se inaugurada uma nova vida, que não é nem a do pai, nem a da mãe, mas a de um novo ser humano. Contém em si a singularidade e o dinamismo da pessoa humana: um ser que recebe a tarefa de vir-a-ser. Ele não viria jamais a tornar-se humano, se não o fosse desde início . Esta verdade é de caráter antropológico, ético e científico. Não se restringe à argumentação de cunho teológico ou religioso.

A defesa incondicional da vida, fundamentada na razão e na natureza da pessoa humana, encontra o seu sentido mais profundo e a sua comprovação à luz da fé. A tradição judaico-cristã defende incondicionalmente a vida humana. A sapiência  e o arcabouço moral  do Povo Eleito, com relação à vida, encontram sua plenitude em Jesus Cristo . As primeiras comunidades cristãs e a Tradição da Igreja consolidaram esses valores . O Concílio Vaticano II assim sintetiza a postura cristã, transmitida pela Igreja, ao longo dos séculos, e proclamada ao nosso tempo: “A vida deve ser defendida com extremos cuidados, desde a concepção: o aborto e o infanticídio são crimes abomináveis” .

O respeito à vida e à dignidade das mulheres deve ser promovido, para superar a violência e a discriminação por elas sofridas. A Igreja quer acolher com misericórdia e prestar assistência pastoral às mulheres que sofreram a triste experiência do aborto. O aborto jamais pode ser considerado um direito da mulher ou do homem, sobre a vida do nascituro. A ninguém pode ser dado o direito de eliminar outra pessoa. A sociedade é devedora da mulher, particularmente quando ela exerce a maternidade. O Papa Francisco afirma que “as mães são o antídoto mais forte para a propagação do individualismo egoísta. ‘Indivíduo’ quer dizer ‘que não se pode dividir’. As mães, em vez disso, se ‘dividem’ a partir de quando hospedam um filho para dá-lo ao mundo e fazê-lo crescer” .

Neste tempo de grave crise política e econômica, a CNBB tem se empenhado na defesa dos mais vulneráveis da sociedade, particularmente dos empobrecidos. A vida do nascituro está entre as mais indefesas e necessitadas de proteção. Com o mesmo ímpeto e compromisso ético-cristão, repudiamos atitudes antidemocráticas que, atropelando o Congresso Nacional, exigem do Supremo Tribunal Federal-STF uma função que não lhe cabe, que é legislar.

O direito à vida é o mais fundamental dos direitos e, por isso, mais do que qualquer outro, deve ser protegido. Ele é um direito intrínseco à condição humana e não uma concessão do Estado. Os Poderes da República têm obrigação de garanti-lo e defendê-lo. O Projeto de Lei 478/2007 – “Estatuto do Nascituro”, em tramitação no Congresso Nacional, que garante o direito à vida desde a concepção, deve ser urgentemente apreciado, aprovado e aplicado.

Não compete a nenhuma autoridade pública reconhecer seletivamente o direito à vida, assegurando-o a alguns e negando-o a outros. Essa discriminação é iníqua e excludente; “causa horror só o pensar que haja crianças que não poderão jamais ver a luz, vítimas do aborto” . São imorais leis que imponham aos profissionais da saúde a obrigação de agir contra a sua consciência, cooperando, direta ou indiretamente, na prática do aborto.

É um grave equívoco pretender resolver problemas, como o das precárias condições sanitárias, através da descriminalização do aborto. Urge combater as causas do aborto, através da implementação e do aprimoramento de políticas públicas que atendam eficazmente as mulheres, nos campos da saúde, segurança, educação sexual, entre outros, especialmente nas localidades mais pobres do Brasil. Espera-se do Estado maior investimento e atuação eficaz no cuidado das gestantes e das crianças. É preciso assegurar às mulheres pobres o direito de ter seus filhos. Ao invés de aborto seguro, o Sistema Público de Saúde deve garantir o direito ao parto seguro e à saúde das mães e de seus filhos.

Conclamamos nossas comunidades a unirem-se em oração e a se mobilizarem, promovendo atividades pelo respeito da dignidade integral da vida humana.

Neste Ano Mariano Nacional, confiamos a Maria, Mãe de Jesus, o povo brasileiro, pedindo as bênçãos de Deus para as nossas famílias, especialmente para as mães e os nascituros.

Brasília-DF, 11 de abril de 2017.

Cardeal Sergio da Rocha

 Arcebispo de Brasília

Presidente da CNBB

Dom Murilo S. R. Krieger, SCJ

Arcebispo de São Salvador

Vice-Presidente da CNBB

Dom Leonardo U. Steiner, OFM

Bispo Auxiliar de Brasília

Secretário-Geral da CNBB

 

MISERICÓRDIA NA FAMÍLIA: DOM E MISSÃO – 14 A 21 DE AGOSTO DE 2016

 

Cartaz SNF 2016.indd

Estamos vivendo o Ano da Misericórdia, proclamado pelo Papa Francisco. Ele nos convida a conhecer e aprofundar o sentido da misericórdia de Deus, e deixarmo-nos tocar por ela. Tocados pela Misericórdia do Pai, como filhos e filhas fiéis, vamos aprender a usar de misericórdia nas relações com nossos irmãos e irmãs, sobretudo aqueles e aquelas que mais necessitam deste toque amoroso que cura, salva e liberta.

“Vistam-se de sentimentos de compaixão”, nos diz Paulo na carta aos Colossenses 3,12. O próprio Jesus nos convida: “Sede misericordioso, como vosso Pai é misericordioso” (Lc 6,36). Precisamos, diante deste convite, olhar o Pai Misericordioso como as crianças olham para seu pai, buscando Nele o modelo do seu ser e do seu agir, e assim, entendermos que a misericórdia de Deus é, a um só tempo, um dom para nossa família e também uma missão.

É dom porque a família nasce das mãos criadoras do Pai, e recebe Dele todo o sustento e auxílio necessários para crescer, desenvolver e frutificar. É missão porque a Misericórdia é a expressão de um amor profundo e verdadeiro capaz de buscar e salvar aqueles que estão perdidos, curar os que estão feridos e dar a todos a oportunidade de ser bom de novo.

Quero motivar todas as famílias, membros de nossas comunidades, a participarem ativamente das atividades da Semana Nacional da Família, que acontecerão em nossa paróquia. Acompanhe a programação na agenda do mês na página 12 de nosso boletim.

Além das atividades programadas pela paróquia, quero convidar cada família para que nesta semana faça um momento de oração juntos, pode ser a leitura orante de um texto bíblico escolhido pela própria família, pode ser também um bate papo sobre o tema da Semana Nacional da Família, Misericórdia na família: dom e missão.

A Semana Nacional da Família é um tempo forte de promoção dos autênticos valores da família fundamentados na Palavra de Deus. É um apelo para que formemos nossas famílias segundo o projeto de Deus, e na rocha firme de sua Palavra salvadora e libertadora.

Para aprofundar o tema geral da Semana Nacional da Família, vamos refletir os seguintes temas: Criados por um Pai Misericordioso; Criados na Misericórdia e para a Misericórdia; Procurados pela Misericórdia; Família e Igreja: Lugares de Misericórdia; O perdão na família: fonte de reconciliação e libertação; As obras de Misericórdia na família, e da família; Família promotora da Misericórdia na sociedade.

Que a Sagrada Família, Jesus, Maria e José, ilumine, abençoe, e ajude nossas famílias na missão de anunciar e de viver a Misericórdia de Deus.

Padre Tarcísio.

Foi realizada no Centro Comunitário Elizabeth Bruyere, dia 17 de abril de 2016, o encontro de Viúvos e Separados. Organizado pela Pastoral Familiar.

 

Viúvos-e-Separados-guarulhosClique aqui e veja mais fotos do evento

 

O objetivo do encontro foi fazer com que os participantes troquem experiências de vida e a importância de se olhar a situação pelo outro lado, resgatar a autoestima, mostrando a eles que existem muitas pessoas na mesma situação.

Esse encontro se baseou em vários momentos preparados pela Pastoral Familiar, onde foi explicado que a viuvez significa uma experiência ímpar para mulheres e homens, permitir o acordar para um novo estilo de vida delicado, mais cheio de expectativas e sensações.

Foi o primeiro encontro setor Casos Especiais realizado na Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Vila Fátima, com uma ótima aceitação dos participantes. Em nome da Pastoral Familiar, agradecemos a participação de todos os presentes e colaboradores.

Muito obrigado!

 

Pastoral Familiar – Paróquia N. Sra. de Fátima – Vila Fátima

Só o Amor nos Fortalece

Um tema: O Amor é a Nossa Missão. Quando lemos esta frase, refletimos… E neste momento pensamos em coisas boas, em momentos felizes, em instantes de ternura, enfim, pensamos em momentos de carinho. Más será que é só isso?

Mas afinal, o que é Amor?

Pensemos: Cristo não ama porque perdoa, não. Mas perdoa porque Ele ama. Perdoar tem aqui a dimensão infinita do querer bem ao outro. Desta forma, esse amor nutre o outro, atende e completa, é doador de vida. Este é o verdadeiro exemplo de Amor de Cristo. Amor que valoriza e salva o outro.

Quem é o outro a quem devo amar? Está claro para mim o que está na 1ª carta de São João. Deus nos amou e nos ama infinitamente. Deus é o maior altruísta. O próprio nome Deus já significa querer bem ao outro. Fazer o bem. Não podemos escolher quem é este ou aquele a quem devemos amar. Deus ama a todos. E Ele nos faz a sua exigência: que amemos. Esta é a nossa missão.

Este mês de agosto é o momento em que você pai, que você mãe, que vocês filhos devem redescobrir o verdadeiro sentido do amor que está em vocês! Amar não para estar bem, mas para buscar fazer o bem ao outro. É preciso cuidar de si, nutrir a sua alma e seu corpo por meio da luz do evangelho, através do amor paternal de nosso Deus.

Todas as famílias devem buscar uma comunicação pessoal com Jesus Cristo, com nosso Pai celestial, para superar as dificuldades pessoais, conjugais e dos filhos. É preciso dialogar em família, dialogar em comunidade, em sociedade. Todo esse diálogo vai fazer que descubramos o outro e as suas necessidades. Fazer caridade.

A caridade fortalece a doutrina social da igreja de Cristo, ela nos entrelaça na relação pessoal com Deus e o próximo. Fazer caridade vai nos transformar em família plenamente viva.

 

Texto: Wilson Alves – Pastoral Familiar

 

Programação

semana-nacional-da-familia

Agosto, mês em que celebramos a Semana Nacional da Família, teremos momentos importantíssimos para as nossas comunidades, e fica aqui o convite a todas as comunidades.

Dia 08, sábado, 16h00. Concentração das famílias na Comunidade São Francisco, com a primeira parte da missa; em seguida, caminharemos até a Igreja da N. Senhora de Fátima, onde concluiremos com a segunda parte da missa. Somos todos convidados a participar!

Dia 10, segunda-feira, 19h30. Encontro de reflexão, na Comunidade São Paulo Apóstolo, para as comunidades São Paulo e São Lucas, e todos os que desejarem participar.

Dia 13, quinta feira, 19h30. Encontro de reflexão na Igreja N. Senhora de Fátima, para as Comunidades N. Senhora de Fátima e São Francisco. Para as Comunidades N. Senhora Aparecida e São José, na Igreja N. Senhora Aparecida, e todos que desejarem estar presentes.

Dia 14, sexta feira, 20h00. Missa das Famílias, das Foranias: Imaculada e Aparecida, na Igreja N. Senhora de Fátima, do Jd. Tranquilidade.