A Palavra do Nosso Pároco – Maio 2022

Porque estais procurando entre os mortos aquele que está vivo? Ele não está aqui. Ressuscitou! (Lc 24,5-6). O Evangelho deixa claro: Jesus está ressuscitado. Não o procuremos entre os mortos, mas entre os vivos, os vivificados no amor.
A comunidade eclesial missionária é o lugar privilegiado para se encontrar com o Ressuscitado. Quando a comunidade no dia do Senhor se reúne para ouvir a Palavra, e
para partir o pão, ali ele pode ser ouvido, e visto com os olhos da fé. O Cristo Ressuscitado é o centro da comunidade eclesial missionária, e ao seu redor ela se estrutura e dele
recebe a vida que a anima e que lhe permite se lançar na missão sem medo, e enfrentando as dificuldades, os desafios que são muitos, nessa mudança de época, e diante de uma
globalização da indiferença. Não é necessário exigência de sinais extraordinários, e miraculosos, para provar que Jesus ressuscitou. Jesus é o grande milagre de Deus. Basta a fé nas provas, e nos sinais, que encontramos na vida da comunidade eclesial, para crer que de fato Jesus venceu a morte, e está vivo. Na vida de comunidade encontramos as provas de que Jesus está vivo. É no encontro com o amor fraterno, com o perdão dos irmãos, com
a Palavra proclamada, com o Pão de Jesus partilhado (Eucaristia), na partilha, e no serviço, que se descobre Jesus Ressuscitado. Diante da incredulidade de Tomé, e dos incrédulos de hoje Jesus diz: “Bem- aventurados os que creram sem terem visto!” (Jo 20,29).
O Tempo Pascal é um tempo privilegiado, e propício para a uma maior valorização da comunidade eclesial missionária, e da missão que ela recebeu de Cristo Ressuscitado. Sem a confiança na presença de Jesus Ressuscitado, a missão é infrutífera. Quando o medo, o desânimo, e o pessimismo, são maiores que a nossa fé, não percebemos a presença de Jesus Ressuscitado, e nem conseguimos ver os sinais de vida nova, que brotam de sua ressurreição. Sem comunidade, não há como viver autenticamente a experiência cristã, e a Paróquia tem o grande desafio de ser este espaço, como nos afirmou o Documento de Aparecida. A comunidade eclesial missionária é a experiência de Igreja que acontece ao redor da casa. É a Igreja que está onde as pessoas se encontram, independente dos vínculos de território, moradia ou pertença geográfica. No Novo Testamento, a palavra casa muitas vezes significa a comunidade – igreja, construída por pedras vivas (1 Pd 2,5). E as atuais Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil apresentam a imagem da Igreja como casa, sustentada por quatro pilares: a Palavra, o Pão, a Caridade, e Ação
Missionária. A comunidade eclesial missionária é casa da Palavra, na qual o discípulo escuta, acolhe e pratica a Palavra. Continuemos valorizando nossos grupos de base, que ajudam as comunidades a serem casa da Palavra. A comunidade eclesial missionária é casa do Pão. Ela vive da Eucaristia, que alimenta a vida de seus membros, e os envia a testemunhar a vida nova que brota da ressurreição de Jesus. A comunidade eclesial
missionária é essencialmente uma comunidade, que dá testemunho de Cristo Ressuscitado, na força da Eucaristia. A comunidade eclesial missionária é casa da caridade. Sendo
missionária, ela anuncia, e dá testemunho de Jesus Cristo com gestos concretos de promoção e de defesa da vida em todas as suas fases, e trabalhando pela justiça, e pelos
direitos da pessoa humana, principalmente dos mais pobres. Sendo casa da caridade a comunidade precisa investir no trabalho e na articulação das pastorais sociais, e lutar por políticas públicas que melhore as condições de vida dos mais pobres, e mais vulneráveis.
Renovemos neste Tempo Pascal nosso compromisso com o mandato missionário de Jesus: “Como o Pai me enviou, também eu vos envio” (João 20,21);
“Vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos” (Mt 28,19);
“Vão pelo mundo inteiro e anunciem a Boa Notícia para toda a humanidade” (Mc 16,15). Deve ser meta das comunidades cristãs consolidarem a mentalidade missionária, pois Igreja missionária é compromisso de todos. A comunidade cristã é chamada a viver em estado permanente de missão, e a missão é o paradigma de toda ação eclesial.
Que a paz do Cristo Ressuscitado esteja com todos vocês.

Padre Tarcísio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui