O que é? A Pastoral da Juventude nasceu durante a década de 70 por iniciativa da CNBB, iluminada pela Teologia da Libertação, fruto da Ação Católica Especializada, acontecida nas décadas anteriores.

 

 

É a ação organizada dos jovens que são Igreja junto com seus pastores e com toda comunidade, para aprofundar a vivência de sua fé e evangelizar outros jovens, com opção evangélica preferencial e consciente por aqueles das classes populares e pelos marginalizados, em vista da construção de um mundo mais fraterno e justo.

 

A Pastoral da Juventude não é um movimento que busca uma espiritualidade intimista e individualista; busca a vivência de um Evangelho que liberta e atua nas estruturas políticas e sociais injustas e desumanas.

 

A Pastoral da Juventude tem como missão:

 

– Organizar a ação pastoral a partir e junto à juventude;

– Fortalecer a Igreja libertadora, a partir da experiência do Cristo Ressuscitado;

– Possibilitar o crescimento e o aprofundamento da fé para uma maior comunhão com Deus, com as pessoas e com o universo;
– Garantir espaços de vivência em pequenos grupos, onde possam partilhar alegrias e angústias e esperanças, reflexão e ação, oração e celebração, e tudo o que são e querem ser;

– Reafirmar a opção profética e transformadora pelos jovens e empobrecidos, colocando-se a serviço de uma nova sociedade;
– Criar espaços de participação da juventude na Igreja e na sociedade, percebendo meios eficazes para o exercício da cidadania e o despertar da militância;
– Contribuir para que os jovens se tornem protagonistas da construção da civilização do amor, sinal profético do Reino definitivo e de esperança para a juventude na promoção da vida.

 

No mundo globalizado, o jovem se depara co uma série de distrações e interesses que se apresentam a ele de forma desordenada, que está cada vez mais fácil de ser influenciado pelo imediatismo e superficialidade. Nesse contexto, o envolvimento dos jovens com a pastoral e com o compromisso da construção do Reino se torna cada vez mais difícil e necessário. Os desafios  enfrentados pela Pastoral da Juventude não são poucos, mas podemos destacar:

 

– A redução dos espaços em que precisa se faze presença, acarretando na falta de interesse e conhecimento dos jovens sobre a riqueza que é o trabalho da pastoral;

– O compromisso dos jovens dentro dos próprios grupos de base;

– O reconhecimento de que a Pastoral da Juventude é um organismo estruturado e organizado que trabalha de acordo com diretrizes e metodologias, e que visa um objetivo muito além do que apenas ser um grupo de jovens;

– O reconhecimento de que a Pastoral da Juventude é uma pastoral social e que não está ligado somente à catequese;

– Além das tentativas incessantes de se calar a voz da juventude e da Pastoral tais quais elas são.

 

HOJE SOMOS RESISTÊNCIA E A PASTORAL DA JUVENTUDE NÃO SE CALARÁ!

NO COMMENTS

Leave a Reply