SEMANA SANTA

triduo-pascal-guarulhos

Disse Jesus: “Quando eu for levantado da terra, atrairei todos a mim” (Jo 12,32). Jesus atrai todos a si pelo amor. E ele amou até o fim, até a entrega da sua vida. É isso que vamos celebrar nesta semana, chamada a semana maior, a Semana Santa.

Quero motivar todo o povo de Deus, que caminha e participa das Comunidades, que compõem a Paróquia Nossa Senhora de Fátima, a participar e a viver intensamente as celebrações da Semana Santa. A Semana Santa, que inclui o Tríduo Pascal, visa recordar a Paixão e Ressurreição de Cristo, desde a sua entrada messiânica em Jerusalém (Diretório da Liturgia 2017, página 82).

Devemos viver a Semana Santa iluminados pelo exemplo de Jesus, que passou a vida amando, servindo, acolhendo, libertando, promovendo a vida, e revelando que Deus é Pai de misericórdia, e que nós somos irmãos e irmãs. Imitemos Jesus no amor-doação, para que possamos construir uma terra sem os males da ganância, do egoísmo e da violência. Que a Campanha da Fraternidade, que este ano tem como tema Fraternidade: Biomas Brasileiros, e Defesa da Vida, ilumine também nossa Semana Santa. Somos sentinelas da criação de Deus. É necessário promover uma ecologia integral, ou seja, defender a vida em todas as suas fases, e defender o meio ambiente.

Na Semana Santa recordamos os mistérios mais profundos de nossa fé: a morte e a Ressurreição de Jesus, a plenitude do mistério de nossa redenção, iniciado com a encarnação do Filho de Deus, Jesus Cristo, Nosso Senhor.

Vivamos a Semana Santa como especial ocasião para a renovação da fé pascal e para a catequese sobre os Mistérios da nossa “fé pascal” no Redentor, o Senhor Ressuscitado, vencedor do pecado e da morte.

Quero destacar a importância da participação de todos (as) nas celebrações do Tríduo Pascal. Nenhum cristão católico deveria deixar de participar. Que seja uma prioridade e um compromisso de todos (as).

O Tríduo Pascal da Paixão e Ressurreição do Senhor começa com a Missa Vespertina da Ceia do Senhor, possui o seu centro na Vigília Pascal e encerra-se com as Vésperas do Domingo da Ressurreição. É o ápice do ano litúrgico porque celebra a Morte e a Ressurreição do Senhor, “quando Cristo realizou a obra da redenção humana e da perfeita glorificação de Deus pelo mistério pascal, quando morrendo destruiu a morte e ressuscitando renovou a vida” (Diretório da Liturgia 2017, página 85).

Façamos da Semana Santa um grande retiro espiritual para nós, participando das celebrações, da procissão do encontro, do ofício das trevas, da via-sacra, realizando momentos de oração individual e meditando a Palavra de Deus. Sugiro que se faça a Leitura Orante da Bíblia, pode ser feita pelos membros da família, ou individualmente. Indico os seguintes textos bíblicos, para a sua escolha: Jo 13,1-17; Mt 5,1-12; Lc 23,1-49; Mt 6,7-15. Os passos para a Leitura Orante são: Leitura do texto: destacar o que mais chamou a atenção. Meditação: o que o texto diz para mim e para nós? Oração: o que o texto me faz dizer, a falar com Deus? Pode ser uma oração de louvor, de súplica, de agradecimento, de perdão, de adoração. Contemplação: o que o texto me leva a ser e a fazer? Formular um compromisso de vida e escolher uma palavra ou uma frase que resuma este compromisso para memorizar e depois colocar em prática. Que estes dias sejam também dias de silêncio, de revisão de vida e de uma maior união com Jesus Cristo, e assim podermos seguir seus passos, e participarmos de sua vitória. Façamos nestes dias também o jejum da televisão, do rádio e da internet.

Que a Semana Santa nos torne mais comprometidos com Jesus Cristo, com a ação evangelizadora da Igreja, com a natureza, o meio ambiente, e com a dignidade humana das pessoas.

Uma boa e frutuosa Semana Santa a todos e a todas.

Que possamos evangelizar com amor, ardor, alegria e misericórdia, inspirados por Maria.

Padre Tarcísio.