SEMANA SANTA

 

“Tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim” (Jo 13,1). É isso que vamos celebrar nesta semana, chamada a semana maior, a Semana Santa. “Não existe amor maior do que dar a vida pelos amigos” (Jo 15,13). Ele nos amou até o fim, até a entrega da vida por amor.

Quero motivar todo povo de Deus, que caminha e participa das Comunidades, que compõe a Paróquia Nossa Senhora de Fátima, a participar e a viver intensamente as celebrações da Semana Santa.

 

A Semana Santa, que inclui o Tríduo Pascal, visa recordar a Paixão e Ressurreição de Cristo, desde a sua entrada messiânica em Jerusalém (Diretório da Liturgia 2018, página 76).

Devemos viver a Semana Santa iluminados pelo exemplo de Jesus, que passou a vida amando, servindo, acolhendo, perdoando, libertando, promovendo a vida e revelando que Deus é Pai de misericórdia, e que nós somos irmãos e irmãs. Imitemos Jesus no amor-doação, para que possamos construir uma terra sem os males da ganância, do egoísmo e da violência. Que a Campanha da Fraternidade deste ano que tem como tema Fraternidade e Superação da Violência nos ajude também na vivência da Semana Santa. A Campanha da Fraternidade, abordando a realidade da violência, nos provoca a sermos construtores da paz e gestores de fraternidade. Superar a violência é tarefa de todo cristão, pois recebemos o mandamento do amor como vocação e missão. Somos sempre convidados e provocados a viver como irmãos, como irmãs. A vida familiar, a vida comunitária, a vida social pedem uma renovação e transformação contínua.

Quero destacar a importância da participação de todos  (as), nas celebrações do Tríduo Pascal. Nenhum cristão católico deveria deixar de participar. Que seja uma prioridade e um  compromisso de todos.

O Tríduo Pascal da Paixão e Ressurreição do Senhor começa com a Missa Vespertina da Ceia do Senhor, possui o seu centro na Vigília Pascal e encerra-se com as Vésperas do Domingo da Ressurreição. É o ápice do ano litúrgico porque celebra a Morte e a Ressurreição do Senhor, “quando Cristo realizou a obra da redenção humana e da perfeita glorificação de Deus pelo mistério pascal, quando morrendo destruiu a morte e ressuscitando renovou a vida” (Diretório da Liturgia 2018, página 79). Seria lamentável pois, reduzir a Semana Santa a um feriadão, com praias, piscinas e outras diversões, quando estes dias deveriam ser aproveitados para uma participação maior nas celebrações litúrgicas nas comunidades e para refletir sobre os passos decisivos da jornada terrestre de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Façamos, portanto, da Semana Santa um grande retiro espiritual para nós, participando das celebrações, da procissão do encontro, do ofício das trevas, da via-sacra, e realizando momentos de oração individual, e meditando a Palavra de Deus. Sugiro que se faça a Leitura Orante da Bíblia, pode ser feita pelos membros da família ou individualmente. Indico os seguintes textos bíblicos para a sua escolha: Mt 5,1-12; 5,17-20; 5,21-26; 5,38-48; 6,7-15. Os passos para a Leitura Orante são: Leitura do texto: destacar o que mais chamou a atenção. Meditação: o que o texto diz para mim e para nós? Oração: o que o texto me faz dizer, ao falar com Deus? Pode ser uma oração de louvor, de súplica, de agradecimento, de perdão e de adoração. Contemplação: o que o texto me leva a ser e a fazer? Formular um compromisso de vida e escolher uma palavra ou uma frase que resuma este compromisso para memorizar, e depois colocar em prática. Que estes dias sejam também dias de silêncio, de revisão de vida e de uma maior união com Jesus Cristo, e assim podermos seguir seus passos e participarmos de sua vitória. Façamos nestes dias também o jejum da televisão, do rádio e da internet.

Que a Semana Santa nos torne mais comprometidos com Jesus Cristo, com a ação evangelizadora da Igreja, com a superação da violência, promovendo a cultura da paz, e trilhando o caminho da não violência.

 

Uma boa e frutuosa Semana Santa a todos e a todas.

Padre Tarcísio.

NO COMMENTS

Leave a Reply